Taro’scopo de Março

Olá queridos leitores, seguidores e amigos. Aqui fica a previsão das energias para cada signo durante o mês de Março. Leiam o vosso signo e se acharem que não está a fazer sentido, não se esqueçam de ler também o vosso ascendente. Este mês temos uma Lua Cheia em Virgem no dia 2, por isso prevê-se um mês repleto de novidades e surpresas. Esta Lua torna as pessoas mais sensíveis e inquietas. Mexe muito com o geral e altera o nosso humor. É também conhecida como a fase das realizações e transbordamentos, para melhor ou para pior. Se durante a Lua Crescente tivermos conseguido cumprir as etapas de crescimento e resolvido todo os bloqueios a tempo, teremos a sua culminância aqui. Os nossos planos atingiram o nível máximo de potencialidade. Nesta fase ficamos mais receptivos e mais ligados ao nosso inconsciente. As emoções e as sensações aguçam-se sob o efeito da Lua Cheia, os relacionamentos podem ficar mais difíceis, pois estamos nós próprios a tentar manter o equilíbrio a nível emocional.Cuidado com o desejas e pedes nesta fase lunar… os seus desejos podem tornar-se realidade!

Carneiro

Este mês estarás a ser abençoado com a energia do Amor. Tens uma oportunidade de realizar algo que desejas e amas (seja a nível pessoal ou profissional). És convidado a usar a energia do Rei de Ouros, o arquétipo do ser que partilha a sua abundância com os restantes mortais. É o “mestre” do mundo físico da matéria, simbolizando estabilidade financeira e segurança. O teu desafio será a tua própria mente e a forma como te auto bloqueias (8 de espadas). Mantém-te focado no teu trabalho, mas não exageres! O que fizeres faz com Amor, pois essa é a tua fonte de energia este mês. Quando te vires a vaguear para os pensamentos negativos e limitadores, exercita a gratidão pelas bençãos que já possuis na tua vida.

Se gostas de astrologia, este mês verifica em que casa astrológica tens o signo de Touro (Rei de ouros), em que casa astrológica tens os signos de água (caranguejo, escorpião e peixes) e finalmente, em que casa tens Gémeos (oito de espadas). essas serão as casas onde serás beneficiado e/ou desafiado. Verifica também em que casa vai incidir a lua cheia (será na casa onde tens o signo de Virgem).

Touro

Este mês deves repousar, descansar a mente e dedicar tempo à introspeção e meditação. Sendo que és, tal como virgem, um signo de Terra, a lua cheia irá mexer com o teu lado emocional mais profundo. És convidada a usar a energia da rainha de copas, arquétipo da mãe. Ela representa as profundezas do subconsciente. Esta é uma mulher carinhosa, de natureza romântica, com grandes sonhos e uma imaginação muito fértil. É generosa e meiga pois compreende a fundo as emoções humanas e o quão tumultuosas estas podem ser. O teu desafio será o teu passado (5 de copas)…aquilo que te causou desgosto e sofrimento e que ainda não conseguiste libertar. É o teu desafio: deixar de olhar para trás e começar a olhar para as possibilidades que tens à tua frente!

Em termos astrológicos pesquisa quais as casas que têm o signo de escorpião (rainha de copas, 5 de copas) e o signo de balança (4 de espadas).

 

Gémeos

Começas o mês com a última carta do mês anterior! Este é um mês de potenciais mudanças e transformações profundas. Estás no final de ciclo e deves avaliar o que precisa morrer para que o novo possa nascer e inundar a tua vida. São dois arcanos maiores, o que significa que é um mês deveras impactante.

És convidado a usar a energia do Eremita, arquétipo do grande sábio que te convida à introspeção como forma de resolução dos eventuais obstáculos (A Lua Cheia este mês é em Virgem que é o signo que rege a carta do Eremita). Ele sabe que não existe compreensão e sabedoria sem experiência, por isso viaja para dentro de si  mesmo à procura da paz e das respostas que necessitas para continuar o seu caminho.

O teu desafio será estares atento às mensagens e sinais que te chegarão do mundo exterior (valete de copas) e ativarão em teu interior a emoção necessária para que possas escolher o que te serve e o que já não te serve mais. Sentirás necessidade de cuidar da tua criança interior e de te afastares um pouco do turbilhão mundano.

Por último, este mês poderás cruzar-te com alguém que servirá de teu “mestre” e iluminará o caminho que deves seguir.

Em termos astrológicos verifica as casas onde tens o signo de Escorpião (Morte), Virgem (Eremita) e Peixes.

 

Caranguejo

Este mês além de te sair uma carta invertida, ainda te saiu uma carta extra!!!

A energia com que entrarás no mês de Março é a energia do valete de paus, uma energia de confiança, criatividade e vontade de sair, conviver…sentes um entusiasmo juvenil e desejo de aventura. No entanto, a carta que te aparece como “ajuda” está invertida, ou seja, este mês podes perder oportunidades importantes pelo simples facto de estares demasiado hiperativo, demasiado impulsivo… No teu íntimo sentes que vêem aí mudanças…sentes isso a um nível celular quase e essa premonição está a deixar-te frenético…

A desafiar-te tens dois oitos, que numerologicamente preconizam mudanças, movimentação… O oito de ouros representa o aprendiz, o workaholic que trabalha incessantemente para atingir os seus objetivos; O oito de espadas é o arquétipo da prisão mental, do medo e ansiedade…

Há claramente uma tensão entre aquilo que te apetece fazer e aquilo que achas que devias estar a fazer… verifica onde tens os signos de fogo (carneiro, leão e sagitário), o signo de virgem (8 de ouros) e o signo de gémeos (8 de espadas).

 

Leão

Dois Arcanos Maiores como oportunidade e desafio! Vai ser um mês e tanto!

A tua energia está centrada no sete de espadas…carta muito pouco positiva no baralho inteiro! Esta carta lida com tudo o que são máscaras, politiquices, ilusões, decepções, enganos e traições. É uma energia densa e enganadora. Se te reconheces neste momento a vibrar nesta frequência de contos e ditos, conflitos e mesquinhice, este mês tens a oportunidade de equilibrar os pratos da balança, de avaliar com equidade e justiça todas as situações pouco claras. Se tens algum contrato para assinar, deves ler e reler antes de fazê-lo.

O teu desafio é a carta do Papa, o arquétipo do Professor e representante das Leis Espirituais do Universo. Ele desafia-te a avaliar o teu compasso moral e os teus valores éticos.  Para funcionarmos bem no mundo precisamos de ordem e estrutura, mas esta deve ser baseada em princípios elevados. Estás a ser desafiado a compreender que lições te têm sido apresentadas para que aprendas algo e também de que forma podes ensinar e ajudar os outros a compreender algo também.

Verifica as casas regidas por Balança, Aquário (7 de espadas) e Touro.

 

Virgem

Vai haver uma Lua Cheia no teu signo e a tua carta central é mesmo a LUA! prepara-te para sentires a sua influência numa escala maior do que o habitual. Já falei acima acerca das possíveis influências da Lua cheia, por isso não me vou estar a repetir.

Tens o rei de Paus como carta de oportunidade, isto significa que és convidada a usar o teu carisma, a tua criatividade e vitalidade para navegares pelas emoções profundas da Lua. Purga tudo que houver para purgar com confiança. Apaixona-te pela vida e por ti própria!

Como desafio tens uma ótima carta: o 3 de copas que simboliza a celebração, a alegria, as reuniões com amigos, com aqueles que amas e com os quais partilhas afinidade e cumplicidade.

Em termos astrológicos,  vê qual a casa regida por Virgem. Depois espreita as casas onde tens Leão e Caranguejo.

 

Balança

Ai Balança!! Que se passa contigo? Estás prostrada no chão, quase sem respirar! A boa notícia é que esse sofrimento, essa agonia mental, está a chegar ao fim! Os dez são finais, para que a energia se renove! O pior já passou, agora é hora de usares a energia do grande Arcano do Imperador e levantares esse corpinho do chão! Às vezes sofremos desnecessariamente! É a nossa mente que vê sempre o lado negativo em todas as situações e tu tens que desprogramar a tua mente. És, por natureza, um signo de extremos e o teu desafio na vida será sempre a tentativa de equilibrares os teus próprios “pratos”.

Este mês sê somo o Imperador, centrado, firme, focado e em pleno controlo do mundo que domina! És mestre de ti próprio! Se não te consegues governar, nem controlar o teu interior, como esperas que os outros consigam fazê-lo? Pergunta-te se não estás a ser demasiado rígida contigo e com os outros.

O teu desafio está ligado às tuas emoções (8 de copas). Decide de uma vez que há coisas que devem ser deixadas para trás…avança…caminha…aprende a lei do desapego e continua o teu caminho!

Verifica as casas onde tens os signos de Touro, Gémeos e Peixes.

 

Escorpião

Este mês estás completamente focada e racional! Avalias tudo e todos com a espada afiada da verdade! Nada te escapa e se te provocarem és bem capaz de decidir “picar” o teu adversário com a força das tuas palavras! A rainha de espadas representa o arquétipo da Rígida Professora  da Sabedoria. Ela expressa a capacidade de solucionar problemas através da razão, sem deixar que as emoções interfiram na análise e julgamento das situações. É o oposto da tua energia natal e podes estar a sentir-te um pouco admirada com esta força que te atravessa neste momento.

Como oportunidade tens a carta da Força, outro arquétipo de poder e mestria quando usado em equilíbrio e equidade. Tens força para destrinçar e avaliar de forma firme e clara os teus desejos este mês, as tuas fronteiras e limites.

Como desafio tens o Ás de Paus, força para criar, arquétipo da paixão,  do desejo, fonte de iluminação, potencial para realizares alguma coisa.

É um excelente mês para tomares algumas decisões importantes na tua vida e iniciares novos projetos e novas aprendizagens com força, determinação e coragem!

Verifica as tuas casas com os signos de Leão, Balança, Sagitário e Carneiro.

 

Sagitário

Este é um mês de mudanças e progresso sagitariano! Descansa que o mais difícil já passou ou está muito próximo de chegar ao fim.

És convidado a celebrar, a partilhar a alegria com os que te rodeiam…podes mesmo vir a concretizar algo que já andavas a projetar e que te dá imenso prazer.

Como desafio tens o Grande Arcano do Carro que simboliza mudanças rápidas…se estiveres preparado para elas, se estiveres preparado para largar de vez a energia depressiva e esmagadora do 10 de espadas e abraçares o novo, o desconhecido, a aventura, sairás vitorioso! Assim que souberes qual a direção da tua vida, não páres! Vai…segue…avança! Não fujas das situações mais difíceis…resolve-as com coragem e determinação. O Carro representa a lei hermética da Vibração, por isso estarás também a ser desafiado a avaliar em que vibração estás e como está a vibração dos que te rodeiam. Afasta-te de gente que te coloca no estado da carta central e rodeia-te daqueles que te querem verdadeiramente bem.

Verifica onde tens as casas de Caranguejo e Gémeos.

 

Capricórnio

Este é um mês de oportunidades e novos começos capricorniano! Estás focado e centrado na tua mente e nos teus objetivos (como aliás é característica tua), mas espantosamente não é no trabalho! O teu chacra laríngeo está a precisar de atenção.

Tens a oportunidade de aprender novas formas de comunicar, quer contigo próprio quer com os outros…tens a oportunidade de avaliar que a vida nem sempre tem que ser vivida de forma rígida e com objetivos mega definidos…tem que haver espaço para encarnarmos a energia do Louco, a criança do baralho de Tarot, o aventureiro que parte em busca de uma nova aventura levando apenas uma trouxa pequena às costas. Aquele que não sabe o caminho, mas vai na mesma, com fé e confiança, sabendo que qualquer lugar é uma oportunidade de aprender algo novo e expandir a consciência.

O teu desafio está ligado às tuas emoções. O cavaleiro de copas é o apaixonado dos cavaleiros…o romântico, sincero e profundamente emotivo. Este, ao contrário da rainha de espadas, segue o coração e não a cabeça! Confia na tua intuição e comunica de forma assertiva sim, mas amorosa!

Verifica as casas onde tens os signos de Escorpião, Peixes e Balança.

 

Aquário

Este mês tens lições para aprender e ensinar, partilhar. A tua energia é representada pelo valete de ouros. Todos os valetes são canalizadores de energia e neste caso, a energia liga-se ao mundo do trabalho e mundo das finanças. Podes estar a pensar começar um novo projeto profissional e esta carta é um bom arauto para esses novos começos. Ele costuma aparecer nas tiragens quando estamos a fazer (ou pensar fazer) mudanças de carreira,  a escolher um curso profissional ou simplesmente a encontrar a nossa vocação.

O Papa dá-te a oportunidade de aprenderes algo novo e usares o que já sabes, a tua sabedoria inata para benefício do próximo. É também um convite à avaliação do teu compasso interno moral. Que lições já aprendeste? De que forma as queres “ensinar” aos outros?

Como desafio tens a carta deplorável do 10 de espadas! És um signo de Ar, um signo mental e racional por natureza e este mês és desafio a sair da tua mente…a largar de vez todas as memórias que te fizeram sofrer e achar que o mundo conspira contra ti e a deixares que o Ar se renove na tua vida. O Medo é o oposto do Amor… Esta carta é chamada em alguns baralhos e estudos esotéricos como a “morte de Deus”… és desafiado a encontrar a tua própria divindade, o Amor que existe em ti.

Verifica as casas onde tens os signos de Touro e Gémeos.

 

Peixes

És talvez o signo mais sensível do zodíaco, mas tens alguma incapacidade de avaliar essa super sensibilidade. Nunca sabes bem se é tua…se vem de fora…como curar essa ferida que sentes e que por vezes lateja e pulsa como um coração. Parece-me (pelas cartas que saem ao lado da carta central) que este mês a única coisa que te está a fazer sofrer és tu própria e os teus pensamentos. A tua tristeza é existencial! E acredita que todos a temos dentro de nós mais ou menos ativa em determinados momentos das nossas vidas.

Quando cheguei ao teu signo, a energia mudou…foi uma nuance, mas foi o suficiente para perceber que a tua leitura não é idêntica aos outros signos. Aqui não te estão a ser apresentadas oportunidades e desafios…está espelhada tua energia yin e yang. Essa dor que sentes está dividida entre o que gostarias de fazer (a nível profissional, pessoal e evolutivo) e o que Tens que fazer (o que a sociedade e as tuas escolhas pessoais do passado te impõem que faças).

A tua angústia é essa…esperas por algo que demora a chegar e a tua vida familiar está a “pesar-te” a alma.

Sabe que mereces ser Feliz. Sabe que mereces ser amada e mereces ver realizado e concretizado na tua vida todos os teus desejos mais profundos. A Era de Peixes acabou …estamos na Era de Aquário agora, por isso começa por ti! Faz por ti…investe em ti…acredita em ti…não podes fazer ninguém feliz se TU não o fores.

Verifica as tuas casas de Leão e Balança.

 

Com Amor,

GaiaNamastê!

Sharing is Caring

“Ser Espiritual”…o que significa – parte II

Pensavam que já tinha definido a complexidade do que significa “ser espiritual”? Nã! Ainda tenho mais para dizer, muito mais… para não estar a repetir o que já foi dito, continuemos a partir do ponto em que ficamos na primeira parte ( se não leste a 1ª parte podes lê-la aqui).

Partindo da premissa (cientificamente comprovada) mencionada anteriormente de que este é um Universo dual, que uma das Leis Universais é a da Polaridade (ou dualidade), onde existe sombra/luz, yin/yang, positivo/negativo, dia/noite, amor/medo, felicidade/sofrimento,  etc, etc, etc todos somos ao mesmo tempo humanos e divinos (terrenos/espirituais, finitos/infinitos…). Isto significa que funcionamos (entenda-se o “funcionar” como o conjunto do pensar, sentir e fazer/agir) simultaneamente das duas maneiras.

Só este facto é suficiente para se esclarecerem alguns mitos e também dúvidas acerca do assunto. O facto de despertares para a tua essência divina e a reconheceres e abraçares NÃO significa que de repente deixaste de ser “humano” ( e as aspas aqui apenas para que compreendam que não estou a falar de algo não humano, ou Extra Terrestre, mas não encontrei outra palavra para explicar o que quero dizer com esta frase, que pode gerar respostas estúpidas da parte de leitores mais impulsivos). Escrevo isto para frisar e sublinhar bem a importância deste facto, não só para quem ainda não despertou (e também para alguns despertos mas ainda no início da sua jornada, que acham que “ser espiritual” é tornar-se uma pessoa livre de todo o ódio, raiva, medo, desejo, paixões, julgamento ..  e quando se deparam com alguém desperto e o vêem a ter comportamentos, ou ações ou sentimentos como os atrás citados criticam e põem em causa a espiritualidade do outro, continuando eles mesmos adormecidos) como também para aqueles que já despertaram (mas ainda pouco conscientes e acham que ser espiritual é conseguir livrar-se da acima citada lista e dominar outra das Leis Universais: a Lei da Atração) e ainda para os que já estão completamente despertos e se acham “acima” dos restantes citados (os que já se intitulam “mestres” espirituais e já despertaram completamente, só ainda não integraram o ego. Dentro deste último, haverá alguns que realmente são autênticos e sinceros/honestos e outros que são uma charlatanice absoluta, como aliás, em todas as outras áreas da vida).

Assim, despertaste e reconheceste a tua parte divina (somos realmente pequenos fractais de “Deus”) e continuas a ser humano. Isto significa que haverá dias em que acordas virada para o teu lado espiritual e agradeces  ao Universo por estares viva, dás graças pelas tuas bençãos e segues o dia centrada, equilibrada e completamente no Agora e haverá outros dias em que acordas na frequência (e agora perdoem-me o português, o  sarcasmo e  a idiotice descritiva)  “humana-com-vontade de-que-ninguém me f*da a cabeça- que – não-me-apetece-aturar-adormecidos- da-m*rda-ou-despertos-com-a-p*ta-da mania-que-são-iluminados!

Alguns de vocês já desligaram o pc, deixaram cair o telemóvel ou mexeram-se desconfortavelmente na cadeira. Outros ter-se-hão desatado a rir e os que percebem exatamente a veracidade e autenticidade disto, sorriram e respiraram de alívio. É A MAIS PURA DAS VERDADES e eu como escorpião que sou não consigo deixar de dizê-la (e fui até cuidadosa em colocar asteriscos nas palavras ofensivas). Quem diz o contrário está a) a mentir-vos; b) a enganarem-se a eles próprios; c) a reprimirem algo dentro deles e em estado de resistência!

Sim , eu que despertei para o meu lado divino e  que vou no “local” que tenho que ir (nem atrás nem à frente, nem acima nem abaixo de ninguém) acabei de julgar, criticar e possivelmente “ofender” alguns de vocês. Qual é a diferença então, perguntarão vocês, entre alguém desperto de alguém menos desperto? Uma das diferenças é que eu tenho Consciência de que o fiz e do que o faço e provavelmente continuarei a fazer quando acordo “nestes dias”. Outra das diferenças é que essa consciência faz com que não saia à rua e projete estes meus “desequilíbrios” nos outros, embora isso também aconteça. Se isso acontecer já sei que preciso de passar tempo a sós comigo para avaliar o que ainda preciso compreender e integrar dentro de mim.

Muitas pessoas bloqueiam na sua jornada (e eu também já passei por alguns desses bloqueios) porque nas várias fases vão partilhando dos mitos dos grupos acima mencionados e como tal, em determinados momentos parece que regredimos e ficamos desesperados por não estarmos a perceber o que raio se está a passar porque pensávamos que já não deveríamos sentir medo e de repente estamos encolhidos nele; ou pensávamos que tínhamos aprendido a não julgar o outro e ups, “hoje toda a gente para quem olho me faz ter um julgamento”…Nestes momentos pomos em causa uma série de epifanias que tínhamos tido e sentimos-nos completamente deprimidos e culpados.

Meus queridos a conclusão a que cheguei é que não regredimos, não estamos novamente perdidos, não estamos deprimidos, não temos “culpa” de nada, nem deixámos de ser espirituais. Apenas temos que perceber que somos e seremos sempre (enquanto estivermos neste plano físico) humanos. E a proporção da tua espiritualidade é a mesma que a proporção da tua humanidade…andam de mãos dadas…como yin/yang, sombra e luz, amor e medo. Quanto mais espiritual te tornas, mais humano te tornas também, porque só te tornas mais espiritual quando aprendes mais e mais sobre a tua própria condição humana.Essa foi aliás, a razão de teres encarnado: para te experienciares como humano e expandires assim, a tua consciência de ti próprio.

E como aprendes a fazê-lo? Sendo um humano! Com tudo o que isso implica…

Vais continuar a sentir medo, carência, desespero, desamor, insegurança, fragilidade, dúvidas, receios e também amor, abundância, gratidão, segurança, força e certezas…vais é fazê-lo a partir do teu centro ( ou seja de forma consciente) e principalmente, vais aprender a AMAR-TE e a PERDOAR-TE e ACEITAR-TE com todas as tuas IMPERFEIÇÕES e a ASSUMIR RESPONSABILIDADE PELO TEU DESTINO.

Vais aprender que nunca te vais libertar do ego. Vais reconhecer a sua importância e o papel que deve ter na tua vida…vais aprender a reconhecê-lo e aceitá-lo, encontrando assim, o ponto de equilíbrio entre o ego e o EU MAIOR. Vais compreender que se o nosso propósito na Terra fosse abandonarmos o ego, teríamos encarnado numa rocha, planta ou animal irracional…Vais recordar que o ego é o que te permite ser esse “eu” único e especial aqui na Terra, esse “eu”que te permite reconhecer-te a ti próprio em relação ao “tu” que é o outro (e continuará a ser o outro enquanto estiveres aqui encarnado)…Vais aprender a distinguir entre esse “eu” e a tua personalidade (que etimologicamente significa persona, que por sua vez significa “máscara”) e reconhecerás que é essa máscara que precisas abandonar, é dela que tens que te desapegar e deixar cair. Esta será a parte mais difícil da jornada pois a persona anda muito colada ao “ego” e por vezes não sabemos que são duas coisas distintas e muito diferentes. Alguns sofrem do síndrome de Gabriela: “eu nasci assim, eu cresci assim” e encontram aqui um desafio descomunal.

Vais aprender que a tua persona (Aquilo que Achas que És) é o maior obstáculo para o reconhecimento, aceitação e integração do “eu” (ou ego) e do “Eu Maior” (ou super ego).

Vais aprender que só te é possível libertares-te do ego quando morres. A máscara fica, ficam as posses, o corpo e o ego ou a tua identidade, esse “eu” pequenino que te diferencia do tu. O “EU Maior” segue agora viagem,  pura consciência expandida pelas experiências adquiridas.

E então quando é que te tornas iluminado, perguntam vocês? Quando aprendeste todas as lições e não desejas experienciar mais nada…quando sentes que já experienciaste tudo o que era necessário para a tua expansão (e do planeta também, porque és também um ser pertencente a uma consciência coletiva)…quando consegues fazer o que um mestre iluminado fez depois de atingir a sua iluminação (perdoem-me , mas não sei se foi ou não Buda) – Quando lhe perguntaram o que fazia antes de se tornar iluminado, ele respondeu: “carregar água e partir madeira”. E depois de se tornar iluminado? “Carregar água e partir madeira”.

Esta é a minha “verdade”…, o meu entendimento da “Jornada do Louco”… a minha experiência adquirida nessa jornada, o fruto do meu trabalho de auto conhecimento e consciência. Não há um só caminho… Acredito que outras pessoas terão outras perspectivas (pois percorreram outros caminhos) e adoro ouvir outras versões da história. Se sentires vontade de partilhar o teu caminho, a tua opinião, a tua versão da história,  terei muito prazer em conhecer a tua “verdade”.

Com Amor,

GaiaNamastê.

 

Sharing is Caring

Meditação Com a Carta Da Lua

Olá queridos leitores e seguidores. Como sabem (porque tenho partilhado) andei um período de tempo a sentir uma certa colisão entre o mundo dos sonhos e a realidade física chegando ao ponto de por vezes, não conseguir distinguir (afirmar para mim própria com toda a certeza) se estava a sonhar enquanto durmo ou a sonhar acordada… nunca me tinha acontecido e continuei a refletir (não só num plano consciente, mas também de forma subconsciente) sobre a questão. Como também sabem (pelo menos aqueles que me conhecem) uso o Tarot diariamente como ferramenta do despertar da minha consciência e como ferramenta de auto conhecimento e conexão com o meu Eu Superior. A Carta da Papisa  e da Lua têm saído com alguma frequência nas minhas tiragens diárias (quer pessoalmente, quer coletivamente) e comecei a perceber que esse meu estado “meio aqui meio ali” estava diretamente ligado a essas duas cartas.

O próprio Cosmos tem sido palco de uma série pouco usual de eventos lunares que já há muito tempo não aconteciam e sabendo que tudo está conectado a tudo o resto, é fácil perceber que automaticamente a nossa antena energética se conecta a esses mesmos eventos, frequências e vibrações.

Os meus sonhos são maioritariamente de dois tipos: aqueles que chegam à minha mente consciente através de símbolos, que depois a mente racional tem alguma dificuldade em interpretar; e outros que são claramente factuais, quase réplicas de eventuais possibilidades num cenário do dia a dia… este tipo de sonhos que agora falo e  que me começaram a acontecer são uma mistura dos dois, com uma particularidade bem diferente (e creio que é por essa razão que me comecei a baralhar entre o saber se era sonho desperto ou não). Nestes últimos sonhos a minha Alma está presente e está consciente que está presente e faz-me (sonhador) fazer determinadas coisas de modo a que quando eu acordo a) me lembre do sonho; b) saiba que a minha Alma estava lá.

Dentro destes sonhos que comecei a apelidar de “conscientes” (mas que sei agora acontecem quando durmo e não quando estou acordada), umas vezes estou a receber mensagens que me querem passar (e novamente há aqui grupos – pessoas que conheço e que não conheço) outras vezes estou a reviver os meus maiores medos…e não, não são pesadelos…algumas são até banais e por esse motivo, ao início pareciam-me estúpidas e sem sentido ou “avisos” (a nossa mente racional tem tendência a interpretar os medos como sinais ou avisos de que algo não está bem, criando por isso mais medos e mais resistência ao caminho que a nossa Alma escolheu). Resolvi então fazer o exercício de meditação com a Carta da Lua numa tentativa de perceber estes novos tipos de sonhar e percebi que estava a ser guiada pela minha Alma (Eu Superior, Intuição Elevada, Supra Consciência) para perceber onde ainda estou em estado de resistência dentro de mim.

Escrevo isto ainda completamente maravilhada com a magia que se opera quando esta conexão se dá de forma consciente, sem alaridos nem floreados…assim SIMPLES…aqueles momentos AHA! ou Eureka! Aquele SABER que não vem da mente racional, mas é igualmente lógico e compreendido como se tivesse vindo…

A seguir à meditação senti um impulso para procurar o significado da palavra sonho em sânscrito (não faço a mínima ideia do porquê) e isto foi o que encontrei: turíya ou turíyávastha –  quarto estado de consciência, situado além dos estados habituais (vigília, sono e sonho).

A interpretação deste quarto estado de consciência não é simples e diferentes autores têm proporcionado explicações variadas sobre o mesmo. Segundo Roberto A. Martins,

O quarto estado […] é a obtenção de uma situação contínua de vivência de Brahman-Ātman, que é mantida durante a sucessão dos três estados (desperto, sonho, sono sem sonhos). A consciência individual (e sua memória) é mantida de forma contínua; e nos três estados a pessoa consegue voltar sua atenção para o seu Eu interno (o observador, a consciência, a testemunha), não se distraindo com as vivências externas e externas que estão presentes durante o estado desperto e os sonhos.
Essa concepção é expressa na Kaivalya Upaniṣad: “Nos três estados de consciência, tudo o que aparece como objeto de desfrute, ou como o apreciador, ou como satisfação – Eu sou diferente deles, a testemunha (sākṣin), a pura consciência, o eterno Śiva” (Kaivalya Upaniṣad 18).

Conseguem perceber o êxtase?? Era exatamente isso! O que experienciei foi “EU a testemunhar os meus sonhos! E seguiu-se uma série de outras conexões que ainda não encontrei forma de extravasar e  que quero partilhar, mas ainda não sei por onde começar…

Para finalizar, peguei novamente no baralho e pedi-lhe que traduzisse por imagens a mensagem que tinha acabado de receber (eu sei, eu sei…ainda não consegui acreditar completamente em mim própria! Ainda tenho essa sombra para dissolver) e estas foram as cartas que saíram: Papisa (que se liga à lua e à intuição), Temperança ( que é a Arte de combinar duas coisas de uma forma totalmente nova e representa o equilíbrio) e a Lua (intitulada neste baralho Sombra!).

Tudo isto para vos dizer que se têm tido sonhos frequentemente, analisem os medos e resistências que vos têm sido apresentados.

Com Amor,

GaiaNamastê!

Sharing is Caring

Mensagem do Dia

Bom Dia Energia!

Hoje a mensagem surge numa perspectiva de corpo-mente-espírito e vou escrever exatamente a mensagem de acompanha cada carta deste baralho “Chacra Mindset”, seguida da minha percepção da carta.

Duma perspectiva do “corpo” ou seja da tua realidade física, a carta que saiu foi “Sabedoria”. A carta diz: “Quando procuramos por sabedoria/orientação/insights, normalmente olhamos para fora de nós, na esperança de olharmos para os outros e encontramos a orientação de que necessitamos. Esta carta aparece para te lembrar que és um Ser que contém em si sabedoria/orientação necessárias para tomar as suas prórpias decisões e fazer as suas próprias escolhas. Só tens que passar tempo contigo própria e aceder à tua sabedoria interior (intuição). Lá encontrarás as respostas que procuras. Abre as tuas asas e usa esse teu potencial, inato a todos os seres humanos. Tens um compasso interno inato que te faz distinguir ou saber o que é certo e errado. O teu Eu Maior está SEMPRE presente e a sua função é guiar-te para o caminho certo. Pára de tentar encontrar lá fora a validação que necessitas ou qualificação adicional para fazeres as coisas que realmente desejas.

Cada carta deste baralho, é acompanhada de um mantra: ” Abraço a minha sabedoria interior e permito que o meu Eu Maior comunique comigo de forma clara e me guie até onde desejo chegar nesta fase da minha vida“.

O ensinamento desta carta, no âmbito do corpo (matéria física) é a de que temos realmente parar de olhar para fora em busca de respostas e começarmos a olhar para dentro. A realidade exterior é cocriada pela existente no interior, quer esta criação aconteça de forma consciente ou subconsciente…Quando o exterior não nos faz sentir bem…nem seguros, nem felizes é porque a nível subconsciente nós estamos a colocar-nos numa vibração e frequência que está desalinhada com o nosso maior “desejo”.

Outras vezes estamos desconectados com a nossa intuição, a nossa papisa interna, a” voz do silêncio”…muitos acham que o ego é a voz da consciência…

Se realmente não consegues aceder à tua voz interior (e tu sabes se isto é verdade ou não), se te acontece de achar que a ouves e a ação que tomas depois de ouvires essa “voz” te leva sempre a caminhos que não vão ao encontro daquilo que pretendias, é hora de procurares aprender como fazê-lo, como distinguir a voz da intuição (a do Eu Maior) da voz do Ego…

Se por outro lado, já aprendeste a conectar-te com a tua centelha divina e mesmo assim algo na tua realidade física neste momento não espelha o que gostarias de experienciar, aceita isso…aproveita esse desconforto para aprender mais sobre os teus limites, as tuas emoções, os teus pensamentos. Provavelmente estarás na fase de aprender a não resistência…também chamado desapego. Muitas pessoas acham que o desapego é deixarem alguma coisa que gostam… é um qualquer sacrifício que têm que fazer…Desapego é ACEITAR o que é sem resistência. O QUE É é um momento no presente, nada mais… não é acerca de pessoas…é acerca da TUA PESSOA e da tua capacidade de viver no AGORA , desapegando-te da ideia que o importante é o ONTEM e p AMANHÃ.  O Ontem e o amanhã são importantes quando estudas a fundo de onde vieste e para onde tens o potencial de te dirigires…se usas o ontem para o reviveres na cabeça uma e outra vez e reviveres as emoções e desequilíbrios desse momento, estás a dirigir-te para mais do mesmo…para repetições desse momento que NÃO QUERES REPETIR…porque não aceitas o que aconteceu…e dizes para ti próprio: “Aprendi a lição! Nunca mais vou fazer isto ou aquilo desta ou daquela maneira. Para a próxima vou fazer assim e assado”… E a vida vai te ensinar a nunca dizer nunca e vai realmente dar-te uma próxima para te ver a fazer assim e assado…

Escrevo isto e quase me dá vontade de rir de tão ridículos que somos na nossa prepotência de acharmos que vamos fazer assim e assado…porque na verdade o que estamos a fazer é a cocriar esse momento no “futuro” para podermos fazer o que acabamos de pensar…mas querem saber uma coisa? Sim, esse momento vai chegar e nós vamos realmente fazer as coisas dessa nova maneira, mas vamos acabar no mesmo ponto de partida…porque a história vai-se repetir a) ou com outra pessoa que já não é a mesma e que por isso, tem outra forma de pensar, falar e agir ou b) vai-se repetir com a mesma pessoa que entretanto também encontrou uma maneira diferente de pensar e agir na eventualidade da lição se repetir! E agora a história é a mesma, mas as circunstâncias e os cenários são ligeiramente diferentes…mas o final é idêntico: sentes-te perdido, angustiado e não entendes que raio de lição é que afinal tens que aprender!

Notícia de última hora: A lição é que cada momento é único…nós é que projetamos o passado em eventos futuros…nós é que perpetuamos a roda do carma uma e outra vez…se em vez de decidires fazer isto ou aquilo da próxima vez, decidires aceitar o que foi e não ter nenhuma expectativa do que vai ser, alinhas-te num novo rumo e numa nova experiência.

Bom…alonguei-me tanto que por hoje, fica apenas a análise da primeira carta.

 

Sharing is Caring

Carmic Mates, Soul Mates e Twin Flames

Ultimamente, na minha realidade experiencial (a.k.a experiência terrena) para onde quer que olhe vejo pessoas numa fase crucial de problemas/desafios nos relacionamentos com o outro (com o foco maior nos relacionamentos amorosos, mas extensível aos outros tipos de relacionamento: familiar, social, pessoal, etc). Por este motivo resolvi escrever um pouco sobre o que a minha experiência até à data me “ensinou”. Alguns de vocês poderão rever-se na minha experiência…para outros será uma versão totalmente nova…uns concordarão comigo, outros discordarão…qualquer que seja o modo como vão ler e interpretar/integrar este texto é irrelevante para mim… se ele vai servir para vos “iluminar” o caminho já percorrido ou por percorrer não é responsabilidade minha…

Acredito que viemos à Terra para experienciar o corpo físico, a chamada “forma” numa variedade de dimensões. A dimensão mais conhecida e experienciada conscientemente por todos nós é a terceira dimensão (3D), i.e, altura, profundidade e largura. Nascemos e crescemos programados nesta dimensão. À medida que crescemos mais um pouco acrescentamos a estas três dimensões a 4ª dimensão que é o Tempo, e passamos a dividir ou catalogar as nossas experiências em termos de passado, presente e futuro (Isto é a explicação básica da coisa. A explicação mais avançada é que a cada uma destas dimensões corresponde uma parte do nosso “corpo” ou “forma” nomeadamente, a dimensão da vida (1ª dimensão), dos sentidos (2ª dimensão), espaço-mente (3ª dimensão) , mente-tempo(4ª dimensão), ou ainda corpo físico, emocional, intelectual ou mental e espiritual).

Partindo desta premissa básica podemos dizer que a nossa luz divina (luz interior, Alma, Eu Maior, Eu Superior, Deus….seja lá o que for que cada um lhe chame) está a experienciar a realidade das suas potencialidades infinitas  sob uma casca física (corpo físico). És então um SER que é ao mesmo tempo espiritual/ divino e HUMANO ou terreno. Posto de outra forma (como é posto por muitos místicos e seres comummente denominados espirituais) és uma luz divina a experienciar-SE, a ter uma experiência terrena de si própria. À tua volta todos estão nessa mesma situação e todos são exatamente iguais nesta premissa: são seres divinos a experimentarem uma das suas versões terrenas. Neste “Jogo” que é a Vida o propósito maior é o “Despertar” ou seja, acordar para o facto de sermos estas duas coisas simultaneamente e ao longo da vida uns atingem este propósito maior, outros não…

Partindo do pressuposto que ainda estás a ler este texto, eu diria que és um dos que já despertou para este 1º facto: és um ser espiritual a ter uma experiência terrena. SABES que viemos aqui para nos experienciarmos, para expandirmos a nossa consciência, para passarmos por experiências que nos ensinem o que é a dor, o prazer, a alegria, a tristeza, a paz, o tumulto, etc.

O próximo passo que damos (e alguns estão ainda encalhados neste passo) é o de aceitar que tudo no Universo é perfeito e tem uma lógica subjacente…não existem coincidências, nem “acidentes” ao acaso (esta parte é muito difícil de perceber usando apenas os níveis de consciência pertencentes à nossa parte humana). Assim sendo, a tua Alma definiu e planeou com outras almas como tu, os eventos e palcos necessários para se desenrolarem determinadas situações que irão (potencialmente) despoletar em ti determinadas reações e ações. Alguns destes acontecimentos serão fulcrais para a tua evolução (ou expansão de consciência) outros nem por isso…nalguns serás o ator principal noutros serás um ator secundário… e estabeleces então “contratos” com essas “almas companheiras”. Depois de estabelecidos os contratos encarnas (ou nasces). Escolheste um veículo terreno (i.é um corpo físico, emocional, mental e astral) que contém no seu ADN os componentes necessários para viveres essa experiência, encarnas num determinado tempo (era) e espaço (local físico), sob a influência de determinados aspetos cósmicos (mapa astral), com determinados genes (herança genética: pais, irmãos , familiares) e com as tuas missões (desafios).  Até aqui, tudo simples de compreender ou de pelo menos imaginar que é possível que assim seja.

Nasces e começas a tua jornada (muito bem compreendida no simbolismo da jornada do Louco no Tarot)  de encontros e desencontros, de vitórias e derrotas, de alegrias e tristezas. de desafios e superações…e é aqui que entram em palco as outras personagens necessárias para que experiencies a tua história. Cruzas-te com as almas com as quais estabeleceste contratos cósmicos, que existem na tua realidade física para te ajudarem a atingir o teu potencial máximo de consciência num determinado espaço de tempo (a tua vida terrena).

Se não tens consciência destes factos (que escolheste previamente as tuas experiências: boas e más) e não consegues manter essa consciência na interação com os Outros, se não estás acordado para o facto da principal razão da vossa interação é fazer-vos crescer e evoluir para uma melhor versão de vocês próprios as coisas complicam-se e como se costuma dizer :” é neste ponto que a “merda” atinge a “ventoinha!”

Se ambos estão despertos para esse facto, a interacção acontece e dá-se a expansão da consciência. Cada um torna-se uma melhor versão de si próprio após o encontro, cumprindo assim o contrato pré-estabelecido, ficando desvinculado de repetir essa lição com essa pessoa. Se um dos dois não está acordado, um de vocês sobrevive a essa experiência e avança na sua caminhada, e o outro fica “preso” na merda a lutar contra a força de ação da ventoinha, ou seja, não aprendeu a lição e esta vai repetir-se uma e outra vez até ele a aprender.

Os contratos de alma têm premissas diferentes, para potenciarem experiências também elas diferentes. Todos eles irão motivar uma ação da tua parte. Esta acção pode encarnar a tua sabedoria superior e encontrar uma resolução que está de acordo com a tua frequência e vibração mais elevada, trazendo o teu potencial máximo para essa “forma” em que estás encarnado ( contratos com almas gémeas) ou pode encarnar o teu ego, a tua versão de sabedoria inferior, colocando-te num plano de frequência e vibração puramente terreno e material (contratos com almas cármicas), perpetuando a recorrência desse mesmo tipo de experiência; Estes últimos colocam-te em situações que te parecem injustas, terríveis, mau carma, azaradas, miseráveis, maléficas, sofridas, depressivas … para que possas ter consciência do teu julgamento ao outro e a ti próprio. Quando consegues perceber e ver este padrão, estas diferenças entre os tipos de contratos que estabeleceste, consegues sofrer uma “injustiça” e não te sentes injustiçado, ou sofres uma perda e não te sentes abandonado, ou sofres um desgosto, mas não te sentes deprimido… pois entendes que esse era o contrato e tudo está a acontecer como tem que acontecer. Nesse momento consegues sair da situação cármica e resolves o contrato.

Resumindo, estamos constantemente a: ser “motivados a” agir conscientemente para a solução de circunstâncias ou a continuarmos a julgar as circunstâncias e situações como não sendo o que têm que ser. Se queres saber em que fase da tua evolução estás, só tens que avaliar a natureza dos teus relacionamentos: 1º a natureza do teu relacionamento contigo próprio e depois com os outros. Dos cenários acima descritos quais são os mais recorrentes na tua vida?

Quer as almas gémeas, quer as almas cármicas potenciam os dois tipos de experiências! A diferença (na minha perspectiva) é que as primeiras fazem-no de forma suave. Os conflitos vêem à superficíe e são resolvidos de forma harmoniosa, deixando-te uma sensação de satisfação, plenitude e bem estar e o vínculo com essas pessoas nunca se desfaz. As segundas são mais desafiadoras, podem demorar (e normalmente demoram!) mais tempo a serem resolvidas, mas quando são resolvidas, o vínculo com elas deixa de existir…. As primeiras espelham aquilo que precisas melhorar ou integrar em ti próprio; as segundas espelham aquilo que não queres mais integrar, aquilo que não queres ser ou sabes que não és…

E depois destas duas, vem as chamadas “chamas gémeas“. Poderás nunca ter ouvido o termo…eu própria só o conheço há relativamente pouco tempo…e ainda não consigo explicá-lo muito bem, pois a informação existente é “contraditória”. Existem, no entanto, traços comuns nas várias versões existentes e são esses (aliados à minha experiência pessoal) que vou partilhar.

Uma chama gémea é o teu ponto de equilíbrio (ou desequilíbrio) mais “perfeito” neste plano terreno, da dualidade. É o encontro energético yin/yang  da mesma centelha divina, materializado na terra. Uma chama gémea é aquele ser que entra na tua vida repentinamente (para alguns tão repentinamente que nem sabem bem de onde surgiu!) com o propósito de te acordar da forma mais rápida  e deveras intensa  ( daí o nome “chama”- flame…pois tem o potencial do fogo) para a tua realidade divina.

Este ser entra na tua vida e num primeiro momento o mundo pára e sentes que chegaste a “casa”…estás feliz, em paz e harmonia…perto dele/a tiras as máscaras, baixas as defesas, mostras as vulnerabilidades e consegues finalmente ser quem és sem medo, sem culpa, nem tabus. Há um reconhecimento imediato nele , daquela parte divina de ti…como se olhasses para ele e visses simultaneamente o humano e o divino encarnados à tua frente. O conto de fadas tornou-se real, materializou-se. Isto é real e é sentido por ambos, mas poucos estão preparados para este encontro.. Na verdade, este tipo de encontros era raro, muito raro até há bem pouco tempo. Neste momento, o planeta está num ponto de viragem muito importante,  o chamado “ou vai ou racha”, ou sobrevive ou se destrói e na urgência deste cataclismo eminente é necessário acelerar o processo de despertar pelo amor, de acordarmos para o nosso propósito maior e o nosso potencial mais elevado, a nossa cura interior.

Qual é a diferença entre uma alma gémea e uma chama gémea perguntam vocês, já que muitos sentem ou já sentiram algo como o descrito acima com uma alma gémea? A diferença é que a chama gémea vira-te a vida ao contrário em três tempos! Tão rapidamente quanto entrou, deixa-te a vida de pernas para o ar, sem perceberes o que te aconteceu (já ouço alguns a dizer: isso não é a chama gémea, é um sociopata, narcissista e egocêntrico que se cruzou no teu caminho! Sim, partilha algumas das características dessas pessoas sem dúvida). A partir desse encontro (ou reencontro como lhe chamo) TU nunca mais serás o mesmo…enquanto que as aprendizagens com as tuas almas gémeas foram graduais, fomos aprendendo lentamente ao longo do tempo, a aprendizagem com esta pessoa é quase instantânea, intensa e muito rápida. Tipo combustão mesmo! Enquanto que os teus encontros com as almas cármicas (com situações pendentes para serem resolvidas) foram encontros sofridos, experienciados como algo “negativo” que nos causaram dor e sofrimento e sentimento de abandono e desconcerto, quando foram resolvidos foram esquecidos, ou seja, sabes que aconteceu, mas ultrapassaste a situação e agora já nem sequer pensas nela ou se pensas não há nenhuma emoção anexada à experiência. Resolveste-a e sabes que provavelmente vais ter outras ou semelhantes ou diferentes para resolver…

A chama gémea é aquele ser que aparece e a): ambos se reconhecem como iguais que são  e passam a ter uma experiência que prolonga o primeiro encontro atrás descrito ou b): aparecem, desaparecem e deixam atrás deles um rasto e vínculo invisível que aparece recorrentemente no teu espaço físico, emocional, mental e espiritual (mesmo quando não estão fisicamente próximos a ti).

A “magia” que eles operam nas nossas vidas é uma intensa descida ao mais profundo do teu ser…ao encontro com a TUA SOMBRA (não a que projetas sobre o outro ou a que os outros projetam sobre ti) …e tu reconheces que estás a confrontar-te CONTIGO PRÓPRIA.

Nesta experiência não há o culpar o outro pelo que estás a sentir: sabes que estás a experienciar-TE, sabes que TE encontraste contigo própria nas tuas várias versões…e vais descascando, paulatinamente cada uma das camadas que constituem o teu ser, até chegares (se conseguires) ao teu âmago, olhares para ti ali e dizeres : OBRIGADA por me mostrares quem eu sou verdadeiramente!

Atenção que esta viagem, a chamada “noite escura da alma” não é tão linear como eu a estou a descrever…não apareceu e tiveste estes insights todos ao mesmo tempo… a mim o que me aconteceu foi: encontrei-a, desencontrei-a…fui ao fundo do poço, ergui-me e senti-me grata pela experiência e preparada para viver o meu potencial mais elevado a partir daquele momento. Achei que estava segura no meu caminho espiritual, a sentir que tinha crescido, evoluído, aprendido e integrado aquelas lições (que são várias e abrangem não só a relação dos dois, mas também a relação com outros) e de repente BAM! Lá está outra vez aquele ser a entrar outra vez na minha vida e de repente já perdeste novamente o teu centro e sentes-te num carrossel emocional que nem consegues explicar e que te assusta montanhas!

Com o tempo percebes que esse é exatamente o papel deles. Explodir dentro de ti o que quer que haja para ser destruído, resolvido, curado, transformado…para te ensinar que aquilo que estás a sentir perto daquela pessoa e que achas que não devias estar a sentir, é exatamente o último julgamento de ti próprio que ainda não conseguiste libertar-te. Repara bem, este ser não te faz JULGAR o OUTRO (e entenda-se o outro como incluindo o ser em questão e os outros todos)…essa lição muda a partir do momento que encontras a chama gémea. A questão agora é o JULGAMENTO A TI PROPRIO! É a última casca do ego que se recusa a cair…aquela que achas que é a tua verdadeira identidade e que sem ela cessas de existir…aquela a que estás habituado (achas tu) desde que nasceste…aquela que já conheces e te é familiar…ESSA MESMA! Essa camada começa a cair…e quando cai , deste o maior passo de cura do teu ser: A CURA DA TUA CRIANÇA INTERIOR, e que eu chamo “ama-te a ti próprio como ao teu próximo” (subversão dirão alguns…outros entenderão a profunda implicação desta frase).

Depois disto, atinges uma fase de paz interior e bem estar e amor que transborda. Não sei qual o passo que irei dar a  seguir…cheguei apenas a esta fase: a de saber quem sou, a de ter reencontrado a minha criança ferida, de lhe ter dado amor e compreensão e de ter aprendido com ela…

Sabes que curaste partes feridas de ti porque depois desta experiência sabes que ÉS AMOR e não há ninguém que te possa convencer do contrário. A partir daqui sabes EXATAMENTE o que queres na tua vida, saberás lidar com os contratos que ainda terás por resolver e estarás pronta para RECEBER.

Se estás a atravessar algum tipo de desafio no teu relacionamento, tenta perceber qual dos contratos estás a tentar resolver…percebe que tipo de relacionamento é…qual o potencial que tem para te ensinar a ser a tua melhor versão de ti mesma e depois segue a caminhada…sozinha ou com ele/a, mas de certeza que noutro patamar de evolução.

P.S – falta explicar um ponto muito importante nesta definição: uma chama gémea NUNCA é alguém que ABUSA emocional, fisica ou mentalmente de ti! NUNCA! O encontro é explosivo no sentido de ser catártico, não abusivo. E aqui reside a tal nuance diferente dos relacionamentos com sociopatas, narcisistas e egocêntricos.

A tua chama gémea prefere “sofrer” sozinha a fazer-te sofrer… e se te fez sofrer foi pela sua incapacidade de honrar o reencontro e cumprir o propósito, nada mais.

Com Amor,

GaiaNamastê

 

 

 

 

Sharing is Caring
Next Posts
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial

Gostaste deste blog? Espalha a palavra:)