9 de Espadas

O número 9 representa o fim de um ciclo ao mesmo tempo que abre caminho para possibilidade mais profundas. É considerado um número misterioso. Em muitas tradições esotéricas existem 9 céus. Ele faz referência às coisas absolutas, plenas. A nossa numeração decimal está baseada no número 9, que é o zero num ciclo superior de numeração. 9 é o número de meses de gestação de um criança! Representa o poder dos números triplos e também o número do infinito (9999999999999999…)

Os noves dos arcanos menores ligam-se aos Arcanos Maiores do Eremita e da Lua.

O naipe de Espadas liga-se ao elemento Ar que representa a mente racional, o intelecto, a palavra falada e a informação. Está associado à estação do Outono.  Este naipe mostra a forma como lidamos com os conflitos interiores e exteriores.

O nove de Espadas, também chamado de “Tristeza” e “Os Barulhos Noturnos”, representa um período de depressão, ansiedade, medo, angústia, tristeza e profunda preocupação. Mostra os pensamentos obsessivos que são consequência de algo que fizemos e nos provoca receios, sentimentos de culpa, medos e consciência pesada. Reflete o medo do abandono e a dor da separação. Pode ser o tormento da solidão ou o medo de perder alguma coisa (amor, emprego, amigos…). Quando alguém chega a este ponto é importante procurar ajuda terapêutica e falar sobre o assunto, pois todos os problemas têm solução! Atraimos aquilo em que focamos a nossa atenção e esta carta alerta-nos para isso mesmo! É hora de mudar os nossos pensamentos para que a nossa vibração também mude. Viver no presente é uma boa forma de transmutar esta energia densa do 9 de espadas.

O passado já passou e o futuro depende daquilo que fazemos no presente.

Com Amor,

GaiaNamastê!

Sharing is Caring

8 de Espadas

O número 8 é o símbolo do equilíbrio cósmico da dualidade em nós (o símbolo do infinito na horizontal) e representa uma oitava mais elevada de vibração. As quatro direções cardeais e as quatro intermediárias formam o 8 na Rosa dos Ventos, que denota a ideia de totalidade. Está ligado ao equilíbrio e à justiça, pois é um número de mediação, que tem valor entre o círculo e o quadrado, o céu e a terra, conferindo-lhe uma posição intermediária no mundo.

O número 8 é forte nas culturas orientais. Os japoneses por exemplo, conferem valor e poder sagrados a esse algarismo e consideram-no um número da sorte. O milagre da ressurreição e o episódio da transfiguração do corpo de Cristo na tradição cristã, são simbolizados igualmente pelo número 8, porque ele representa o início de uma nova vida. No Génesis após o sexto dia da criação e o sétimo de descanso, o oitavo dia representou a conclusão de tudo e o início de um novo ciclo.

No Tarot o número 8 refere-se à completude, ao caráter totalizador, ao final de um ciclo para o início de outro (associa-se à carta da Força que abre o 2º caminho da Viagem do Louco e à carta da Estrela).

O naipe de Espadas liga-se ao elemento Ar que representa a mente racional, o intelecto, a palavra falada e a informação. Está associado à estação do Outono.  Este naipe mostra a forma como lidamos com os conflitos interiores e exteriores.

O 8 de Espadas, também chamado ” Culpa” ou “Prisão Mental” noutros baralhos denota uma situação em que o elemento Ar, por isso, os nossos pensamentos nos causam tensão e conflito interiores. Contrariamente ao movimento expansivo dos outros naipes, aqui ela representa a restrição, a limitação, a falta de confiança para avançar, a impotência e os medos que nos bloqueiam. Todas estas cargas negativas estão, muitas vezes, mais no  nosso interior do que no exterior!  Sob a influência desta carta é comum ocultarmos certas facetas da nossa personalidade, não mostrando o nosso verdadeiro Eu aos outros, ora por medo ora por falta de confiança e amor próprio. Sentimos-nos literalmente presos sem conseguirmos perceber que a prisão é apenas mental e está ao nosso alcance escolher a Liberdade! Existe sempre outro caminho para percorrer…existe sempre o livre arbítrio, o poder da escolha.

Com Amor,

GaiaNamastê!

 

Sharing is Caring

7 de Espadas

O número sete (número que se liga aos Arcanos Maiores do Carro e da Torre) representa a integração e é considerado um número divino. Representa o final de uma fase (“ao sétimo dia Deus descansou”) e relaciona-se com a energia: planetária (sete planetas), os sete dias da semana, os sete chacras, as sete cores do arco-íris, as sete notas musicais, as sete virtudes, os sete pecados mortais, …é um número que define uma escala vibratória divina, mas também terrena como podem ver pelas associações acima citadas.

O naipe de Espadas liga-se ao elemento Ar que representa a mente racional, o intelecto, a palavra falada e a informação. Está associado à estação do Outono.  Este naipe mostra a forma como lidamos com os conflitos interiores e exteriores.

Esta carta é chamada de “Politiquices” no baralho do Osho e “A Ilusão das Máscaras” ou “Futilidade” noutros baralhos. É a carta dos arcanos menores que mais se associa ao Ego e às ilusões e máscaras existentes quer no mundo material e físico, quer nos recônditos da mente humana. É uma das cartas chamadas “negativas”no baralho de Tarot, pois normalmente está ligada a situações de traição, roubo, engano, manipulação e fuga à realidade. Aparece como um aviso para a existência de situações que não são bem o que parecem ser, para a existência de segredos e mentiras.

O importante, quando esta carta aparece, é termos consciência de que a verdade sempre se revela mais cedo ou mais tarde e que existe uma lógica por trás do caos aparente e dos eventos que aparentam ser desconexos e aleatórios.

No seu lado mais positivo, esta carta aponta para esperteza e astúcia no saber lidar com pessoas falsas e manipuladoras ou para saber livrar-se de situações poucos claras. Ser verdadeiro e honesto sempre, quer connosco quer com o outro, faz com que a energia desta carta se dissipe e perca força. Convida-nos também a refletir sobre as máscaras que usamos diariamente em diferentes situações e a avaliar se não será melhor sermos quem somos, sem necessidade de usar sequer essa máscara.

Com Amor,

GaiaNamastê.

Sharing is Caring

Ás de Espadas

O Naipe de Espadas corresponde ao elemento Ar, que representa a mente racional, o intelecto, a informação. É também associado à estação do Outono. É um naipe difícil, pois nenhuma das suas cartas, à exceção do Ás, é uma carta fácil.
Este naipe mostra a forma como lidamos com os conflitos interiores e exteriores. Aqui, enfrentamos os desafios mais difíceis da vida e confrontamos-nos com os medos, traumas e frustrações. Mostra as lutas do nosso dia-a-dia e como reagimos diante dos nossos adversários.

O Ás de Espadas representa a consciência focada. Mostra o princípio da razão, da lucidez, da verdade, da objetividade, da honestidade e da justiça. É um arcano de firmeza e determinação, que regra geral, nos confronta com novos e estimulantes desafios. Convida-nos a analisar a situação de forma inteligente, com a máxima argúcia e determinados em exercer toda a força de carácter para atingir os objetivos.
Representa uma oportunidade de esclarecer alguma coisa, de se distanciar, de examinar criticamente uma situação, oportunidade de chegar a um conhecimento valioso ou a uma decisão. Dá-nos força para vencer todos os obstáculos se tivermos o pensamento claro.

 

Com Amor,

 

GaiaNamastê!

Sharing is Caring

Como fazer perguntas ao Tarot?

Há quem advogue que para que o Tarot responda de forma fidedigna, é preciso saber fazer a pergunta de modo correto. Mas qual é o modo correto? Como saber se estou a fazer a pergunta certa, da maneira certa? Há muita controvérsia à volta desta questão e muita gente complica o que me parece ser muito simples. Usar o Tarot como ferramenta de desenvolvimento pessoal, como ferramenta terapêutica de crescimento e evolução é uma prática como outra qualquer (meditação, fazer desporto, aprender uma arte, orar) e deve ser feita com apenas duas ferramentas à mão: abertura mental e espiritual.

Na minha opinião, quando não sabes como fazer a pergunta, em vez de stressares e ficares em “desiquilíbrio”, deves apenas respirar fundo e pedir ajuda e orientação aos teus guias superiores, acreditando que “eles” (o teu EU MAIOR) te guirão para a área da tua vida que precisa de mais atenção neste momento. A este tipo de perguntas chamo: “perguntas abertas”.

Posto isto, escolhes a tua tiragem e verificas a presença ou ausência de Arcanos Maiores (a presença significa que é uma área importante e que está a receber energias bastante fortes e sobre as quais não tens grande influência) e reparar no(s) naipe(s) em destaque.

Interpretando os naipes

Se te sairem (maioritariamente) Paus pergunta-te: O que desejo? Como posso expressar critativamente a energia que está presente? Que ações me estão a ser apresentadas? Que passos devo dar nas direções aqui apresentadas?

As Virtudes deste naipe são: criatividade, entusiasmo, empreendedorismo, paixão.

Os Vícios são: orgulho, desassossego, obstinação

Associa-se à estação do ano da Primavera e segundo Jung liga-se à nossa intuição.

 

Se te sairem (maioritariamente) Copas pergunta-te: O que amo? Estou a sonhar e fantasiar com o quê? O que estou a sentir? Como estou a responder emocionalmente? Como estão as minhas emoções a interferir na questão?

As Virtudes: serenidade, amor, alegria, carinho, amor.

Os Vícios: mau humor, cansaço emocional e psíquico, excessos.

Associa-se à estação do Verão e segundo Jung liga-se às nossas emoções.

 

Se te sairem (maioritariamente) Espadas pergunta-te: onde está o foco dos meus pensamentos? Que decisões estou a enfrentar? Qual o conflito ou tensões que estão presentes? Como estou a comunicar?

As Virtudes deste naipe são: coragem, força, verdade e justiça.

Os Vícios são: irreflexão, críticas, medo, confusão, agressividade mental e verbal.

Associa-se à estação do Outono e segundo Jung liga-se aos Pensamentos.

 

Se te sairem (maioritariamente) Ouros pergunta-te: O que valorizo? Onde encontro a minha estabilidade e segurança? Que objetivos estou a concretizar? Que mensagens me está a dar o meu corpo físico?

As Virtudes deste naipe sao: conhecimento e capacidade, estabilidade, resistência.

Os Vícios são: stress, ansiedade, teimosia, incapacidade de mudança, ganância.

Associa-se à estação do Inverno e segundo Jung às Sensações Físicas (ou 5 sentidos).

 

Resumindo, uma tiragem com ênfase particular num naipe aponta a área da vida que te está a ser mostrada (Paus ♣- criatividade e empreendimentos; Copas ♥ –  emoções e o mundo psiquíco; Espadas ♠ – pensamentos e desafios e Ouros ♦ – trabalho, dinheiro e saúde).

Os naipes são também elucidativos de alguns bloqueios. Imagina que fizeste uma pergunta acerca da tua vida amorosa e sairam-te maioritarimente espadas ou ouros. Isto significa que neste momento, o teu maior desafio tem a ver com os teus pensamentos, a forma como comunicas e  com a tua saúde física e mundo do trabalho. Ou então fizeste uma pergunta acerca da tua vida profissional e saiu maioritariamente copas! Tens que avaliar de que forma as tuas emoções e o teu mundo psíquico estão a interferir na tua área profissional!

Agora, pega no teu baralho ( se não tens um baralho de Tarot, pega num baralho de cartas normais!!! Serve perfeitamente para este exercício, pois a única coisa que não tem são os Arcanos Maiores), respira fundo e interpreta a tua mensagem!

Namastê!

Guardar

Sharing is Caring
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial

Gostaste deste blog? Espalha a palavra:)